Ser Melhor

Ser Melhor

Conquiste a sua estrela

Saúde e Qualidade de Vida

Quer emagrecer mas não consegue? Emagreça de forma consciente e segura

Você já parou para pensar por que você engorda e não consegue começar ou manter a sua dieta? E por que você come descontroladamente e depois se arrepende? Então esse texto é para você!

A maioria das pessoas sentem essa dificuldade quando o assunto é emagrecer. As queixas mais comuns são: eu não consigo me controlar, quando chega o final de semana, eu saboto a dieta, tive uma DR e desconto o que eu sinto na comida ou até mesmo quando estou triste, ansioso, ou angustiado a comida é o meu porto seguro. Então você se esforça e tenta, tenta, tenta até conseguir ou desisti na metade ou início do percurso. Mais afinal, o que tem de errado em tudo isso? Por que eu não consigo manter o peso adequado?

Sabemos que a forma de comer é uma escolha subjetiva baseada em determinado estilo de vida. E que o alimento tem uma forte ligação com as emoções (KAUFMAN, 2012). As pessoas comem o que lhes agrada e o que a cultura lhe impõe, como aquilo que é o mais gostoso, e que enche os olhos só de olhar. Deixando de refletir se aquele alimento gostoso, gorduroso, açucarado é a opção mais saudável e mais correta a se escolher.

E é aí que as emoções entram em cena, ocupando um papel fundamental no comportamento alimentar, pois elas influenciam nas nossas escolhas e nos nossos hábitos alimentares. Importante destacar que ela pode estar associada a fatores históricos e antropológicos envolvendo valores e a cultura que fazem parte da construção do sujeito.

A maioria das pessoas não conseguem controlar as suas emoções, comem compulsivamente na tentativa de aliviar o incomodo que sentem de uma situação mal resolvida, na tentativa de fugir dos problemas ao invés de enfrentá-los, camuflam as emoções usando o alimento, por que dessa forma entendem que é mais fácil resolver a situação.

Então as pessoas comem sem ter fome, e optam por ficar na zona de prazer, por que comer se torna prazeroso, gerando dependência desses alimentos, podendo até se desdobrar em problemas psicológicos na tentativa de evitar situações desagradáveis.

Quando se deparam com essa situação o que as pessoas devem fazer? Em primeiro lugar, deve-se procurar pela ajuda de um psicólogo (a) para ajudar a compreender a dinâmica psicológica do paciente na tentativa de ajudá-lo a sair do seu impasse psicológico refletindo sobre as suas emoções e como ele foi se complicando.

A partir daí, no processo psicoterapêutico buscam-se os elementos que não foram associados no decorrer das suas ações. Estes fenômenos inexplorados podem ajudá-lo a compreender e se apropriar daquela situação de forma dinâmica e alterar parte importante de sua subjetividade.

Se necessário o paciente poderá fazer o acompanhamento nutricional em conjunto com a psicoterapia, alterando seu hábito alimentar promovendo uma alimentação mais saudável para o paciente, melhorando a sua qualidade de vida.



Veja Também

A visão de saúde no decorrer da história

Este texto trata de algumas concepções de saúde, doença e cuidado no decorrer da história. Traz reflexões acerca dessas visões e da realidade encontrada no Centro de Testagem e Aconselhamento em Doenças Sexualmente Transmissíveis/HIV/AIDS de Guaianases, onde trabalho.

O mundo mágico da dança

Tarcisio é um parkinsoniano otimista que percebeu na dança de salão uma maneira prazerosa de fazer os exercícios da fisioterapia e foi seduzido pelo poder mágico que a dança tem de aumentar a auto-estima e o prazer de viver a vida!